Formação de Cineastas Indígenas reúne integrantes das etnias Jenipapo-Kanindé e Kanindé de Aratuba

Levando câmeras fotográficas, cocares e muita disposição para trocar conhecimentos, um grupo organizado pelo povo Jenipapo-Kanindé subiu a Serra de Aratuba, na quinta-feira passada, 18, para realizar o Módulo Kanindé de Aratuba da Formação de Cineastas Indígenas – Um olhar etnográfico. O projeto, que incluí outros três módulos em aldeias de diferentes etnias, é realizado pela Associação de Mulheres Indígenas Jenipapo-Kanindé.

a (1)                                    a

Foram quatro dias de intensas trocas de saberes. Além de oficinas de fotografia, vídeo e produção audiovisual, a programação do Módulo contou com vivências nas matas encantadas da Serra de Aratuba, momentos de espiritualidade Toré, rodas de conversa com guardiões da memória e outras lideranças indígenas e mostras de filmes etnográficos.

Segundo a Cacique Irê, liderança Jenipapo-Kanindé, a iniciativa é importante tanto por proporcionar o intercâmbio entre etnias e a capacitação técnica dos participantes, quanto por possibilitar o registro do “olhar do índio para outro índio”, com a utilização do audiovisual para preservação e expressão da cultura indígena.

O curso dá continuidade ao projeto de formação iniciado com a primeira e a segunda Mostra de Filmes Etnográficos do Ceará. As duas mostras, que ocorreram em dezembro de 2015 e em abril de 2017, na Aldeia Lagoa Encantada do povo Jenipapo-Kanindé, contaram com oficinas de audiovisual. Na segunda delas, as atividades formativas integraram o Módulo Jenipapo-Kanindé da Formação de Cineastas Indígenas.

Expandindo e partilhando os conhecimentos aprendidos na ocasião, seis jovens trabalharam como monitores no Módulo Kanindé de Aratuba: Vitória Alves, 15, Kaio Soares, 16, Cleiton Silva, 15, Alan Alves, 15, Emelle Soares, 11, e Nataniel dos Santos, 13. “Eu estou aprendendo mais e vendo um pouco como é ser professor. E nesse caso é mais fácil (atuar como monitor) sendo indígena porque já conheço a cultura”, conta Alan Alves.

b

Os próximos jovens a receber a capacitação são da etnia Tapeba. O módulo, realizado na aldeia Lagoa Tapeba, em Capuã, distrito de Caucaia, começa sexta-feira, 26 de maio, e segue até domingo, 28. Já o quatro módulo, destinado ao povo Pitaguary, ocorrerá em junho. A Formação de Cineastas Indígenas conta com apoio da Secretaria da Cultura do Governo do Estado do Ceará, e tem produção realizada por profissionais da etnia Jenipapo-Kanindé com suporte de integrantes das aldeias anfitriãs.

c       d

Foto: Iago Barreto

Fotos: Iago Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*