Cineclube

Cineclube Aldeia: a experiência audiovisual nos Jenipapo-Kanindé

cineclube aldeiaO Cineclube Aldeia é uma realização da Associação de Mulheres Indígenas Jenipapo-Kanindé, com o apoio de produtores, pesquisadores e realizadores. Contemplado nas edições X e XI do Edital Ceará de Cinema e Vídeo (Secult-CE), o projeto é executado de forma autônoma pela própria comunidade desde 2009. Exibições, debates e produção em vídeo também compõem a programação do Museu Indígena Jenipapo-Kanindé, premiado pelo Programa Pontos de Memória do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram/MinC).

Iniciado com a realização do curta documental Cabeludos da Encantada (2009), o Cineclube Aldeia promoveu exibições com debates em noites culturais indígenas chamadas “rodas com os guardiões da memória”. Em 2012, destacou-se a exibição de Espelho Nativo (DocTv, 2009), que contou com a presença do realizador Philipi Bandeira, promovendo debate seguido de palestra da Cacique Pequena, entre exibições de filmes do Vídeo nas Aldeias e de outros convidados.

Em 2015, na esteira da I Mostra Indígena de Filmes Etnográficos do Ceará, o Cineclube Aldeia abre suas matas para um público bem maior e diversificado, expandindo suas potências na transmissão da memória indígena, dos conhecimentos tradicionais e da articulação intercultural para mediações e agenciamentos mais amplos, entre diferentes etnias, parceiros da causa indígena, realizadores audiovisuais e pesquisadores.

Com a perspectiva de oferecer e convidar a uma programação de conteúdo, sobretudo, de forma inovadora, a comunidade Jenipapo-Kanindé sediará na Lagoa da Encantada um encontro que promete inaugurar as ações diretas na linha do audiovisual e do cinema indígena no Ceará, com a finalidade de formar uma rede de colaboração para difundir ferramentas tecnológicas dentro da luta indígena.